ARMAZENAMENTO DA BATERIA

 Um fator importante para assegurar o perfeito funcionamento e vida útil da bateria é uma armazenagem correta.

– A bateria deve ser armazenada sobre estrados de madeira ou mantas isolantes. Nunca diretamente ao chão; – Deve ser armazenada na posição horizontal, com os pólos voltados para cima;

– Permaneceremlocalseco,limpo,semincidênciaderaiossolareseaumatemperaturaambienteentre 10°C e25°C;

– Para redução de recargas, deve-se seguir um procedimento de estocagem que recebe o nome de PEPS (Primeira que Entra Primeira que Sai), ou seja, a primeira bateria a entrar no estoque deverá ser também a primeira a sair.

– Verificar as condições de carga periodicamente, medindo-se a tensão entre os terminais da bateria estocada. Caso a tensão encontrada esteja igual ou menor do que 12,4 Volts, recomenda-se a recarga da bateria (recarga lenta: 5% da capacidade nominal).

– O tempo de armazenagem das baterias Livre de Manutenção é maior em relação às baterias de baixa manutenção, pois a taxa de autodescarga é menor em virtude da liga utilizada na fabricação, mas isso não quer dizer que ela não necessite ser vistoriada periodicamente. Faça a vistoria normalmente e siga corretamente as instruções contidas acima.

EMPILHAMENTO

– Baterias até 90 Ah deve-se limitar o empilhamento a até 5 camadas, enquanto para baterias acima de 90 Ah, o limite é de até 3 camadas.

CUIDADOS ANTES DA INSTALAÇÃO DA BATERIA

• Verificar se o modelo da bateria é o indicado para o veículo;
• Verificar se o suporte de fixação está adequado;
• Verificarseosistemaelétricodoveículoestáembomestadodefuncionamento;
• Mediratensão(voltagem)paragarantirqueapolaridadedabaterianãoestáinvertidaeseestácarregada (a tensão deve ser maior ou igual a 12,5 V ).
INSTALAÇÃO
• Verificar a posição dos cabos positivo ( + ) e negativo ( – );
• Desligar a ignição e todos os equipamentos elétricos do veículo. ATENÇÃO: tenha em mãos os códigos de segurança (alarme, rádio, etc.), caso existam.
• Desconectar primeiro o cabo negativo ( – );
• Desconectar o cabo positivo ( + ); ATENÇÃO: inverter esta ordem pode provocar curto circuito e/ou explosão.
• Retirar o fixador da bateria e removê-la;
• Limpar os terminais dos cabos e os bornes (pólos) da bateria;
• Certificar-se de que a bandeja de fixação esteja seca e limpa;
• Encaixar a nova bateria e efetuar a fixação;
• Cuidar para que a instalação dos cabos aos terminais da bateria não fiquem invertidos;
• Conectar primeiro o cabo positivo ( + );
• Conectarocabonegativo(-);ATENÇÃO:inverterestaordempodeprovocarcurtocircuitoe/ouexplosão.
• Limpar e apertar adequadamente os terminais;
• Proteger os terminais com uma leve camada de graxa de silicone ou vaselina sólida;
• Após a instalação é importante que se faça um check-up final no sistema elétrico (sistema de partida, ignição, carga, etc.)

CONHEÇA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CARGA DO SEU VEÍCULO

INSPEÇÃO

Há muitas ferramentas que podem auxiliar na manutenção e uso apropriado das baterias. Recomendamos algumas ferramentas básicas para este procedimento tais como: funil, água destilada, voltímetro digital, densímetro, termômetro de vidro, limpador de pólos, solução de bicarbonato de sódio a 10%, vaselina sólida assim como o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) como óculos, luvas e máscara para manusear as baterias ou solução ácida durante a recarga de sua bateria. Use este guia e procure executar todas as etapas a seguir:
1) Examine a aparência externa da bateria. Procure por trincas ou amassados na tampa e no vaso. A tampa da bateria, os pólos e conexões devem estar limpos, sem poeira, sujeira, fluídos e corrosão. Se a(s) bateria(s) estiver(em) suja(s), limpe-a(s) apenas com um pano umedecido. Repare ou troque qualquer bateria danificada;
2) Qualquer fluído sobre ou em volta da bateria pode ser um indicativo de que o eletrólito (solução ácida corrosiva) está vazando ou espirrando para fora. Baterias com vazamento devem ser reparadas ou trocadas;
3) Na recarga, faça uma checagem em todos os cabos e conexões. Observe bem se há peças soltas ou danificadas. Os cabos e conexões devem estar intactos; cabos quebrados ou irregulares são extremamente perigosos pelas faíscas que podem gerar explosão.
4) Aperte corretamente os conectores e certifique-se que haja um bom contato entre as conexões e os terminais. Alerta: Nunca aperte demais os terminais, evitando assim a quebra dos pólos.
TESTANDO A BATERIA
01) Com o densímetro faça a leitura registrando o valor e devolva a solução retirada para medição ao vaso de onde ela foi retirada;
02) Repita essa operação para todos os vasos;
03) Recoloque as rolhas e remova qualquer respingo de solução que eventualmente tenha caído sobre a bateria.
04)Corrijaasleiturasdedensidadeparaatemperaturade27oC,consulteemumoutroExemplar aTabelade Densidade.
Se alguma leitura de densidade ainda registrar valores abaixo da especificação da fábrica então uma ou mais das seguintes condições podem estar ocorrendo:
a ) A bateria está “velha” e próximo ao final de sua vida útil.
b ) A bateria foi deixada com baixo estado de carga por um período muito longo.
c ) Houve perda de eletrólito por derramamento ou por sobrecarga.
d ) Um elemento pode estar com problema (defeito).
e ) Foi adicionado água excessivamente à bateria antes do teste.

CONHEÇA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CARGA DO SEU VEÍCULO

Sistemas Estacionários, como o próprio nome já diz, são sistemas onde a bateria fica permanentemente parada (estacionada). Funciona quando a energia que vem da rede externa (companhia elétrica) falha deixando assim o ambiente que necessita de energia sem carga, o que popularmente é conhecido como: “ACABOU A LUZ”.

Assim, em alguns casos como aeroportos, hospitais, bancos e outros, onde os equipamentos não podem ser desligados, ai então a bateria é adicionada neste sistema para suprir a necessidade do ambiente. Esse método é conhecido como No-Break. É válido ressaltar que existem baterias próprias para este uso, fabricadas exclusivamente para esse tipo de sistema, conhecidas como Baterias Estacionárias, mas em alguns casos as baterias utilizadas para esse fim são as automotivas (chumbo-ácido), baterias fabricadas para o uso em automóveis, mesmo não sendo a mais adequada. Com isso, a garantia desta bateria passa a ser de 3 (três) meses a contar da data da venda.

Utilizando a bateria automotiva para esse fim, você estará reduzindo drasticamente sua vida útil, tanto pela utilização inadequada quanto pela falta de utilização, pois o sistema de No-Break pode não ser acionado durante um longo período e isso pode ocasionar a sulfatização das placas, sendo este um processo irreversível e assim você acaba perdendo essa bateria chumbo-ácido.

BATERIAS LIVRES DE MANUTENÇÃO DESVENDANDO MITOS

1 – Baterias seladas são secas? 

Falso. Atualmente toda bateria automotiva no mercado brasileiro contém eletrólito (solução de ácido sulfúrico e água) seja ela selada ou convencional (com rolhas).
2 – Baterias seladas não produzem gases quando utilizadas? 
Falso. Toda bateria automotiva, (selada ou não selada) produz gases quando estão sendo utilizadas.
3 – Os gases produzidos dentro de uma bateria selada ficam no seu interior e não saem para a atmosfera? 
Falso. As baterias seladas têm um respiro, pôr onde saem os gases. Se os gases fossem retidos dentro da bateria, com o tempo, o aumento de pressão interna faria a bateria explodir. O termo “selada” é utilizado de forma exagerada, uma vez que nenhuma bateria Chumbo – Ácido pode ser completamente fechada.
4 – Bateria “livre de manutenção” (Free) precisa ser selada? 
Falso. Em todo o mundo existem baterias “livres de manutenção” com rolhas. bateria livre de manutenção está relacionada com os materiais que são utilizados em sua fabricação e não se a bateria é selada ou com rolhas. Entende-se como livre de manutenção aquela que é construída com uma “liga” que produz baixa liberação de gases. Portanto bateria livre de manutenção não precisaria ser selada.
5 – Baterias com prata são todas iguais? 
Falso. Existem várias tecnologias que utilizam prata como elemento de liga para fabricação de baterias.
6 – Bateria descarregada é bateria com defeito ? 
Falso. Quando uma bateria chumbo-ácido não está sendo utilizada, sofre um fenômeno que denominamos autodescarga. Isto é decorrente de suas características Físico-Químicas, entretanto, dependendo dos materiais utilizados em sua fabricação a bateria pode ter uma autodescarga maior ou menor. O fato de a bateria estar descarregada, não significa que ela esteja com defeito. Os principais motivos que provocam a descarga são: 

• Fuga de corrente elevada; 
• Uso de acessórios elétricos com o veículo desligado; 
• Alternador não gera energia suficiente. 
• Adaptações de acessórios em demasia

7 – Para verificar a carga da bateria posso efetuar um teste fechando o curto-circuito através dos pólos da bateria?
Falso. Quando fechamos o curto-circuito através dos pólos da bateria, dependendo do estado de carga e condições de uso da bateria, este procedimento, pode destruí-la por completo, ou retirar uma parte significativa de sua vida útil. Dependendo da situação a bateria pode explodir, causando danos físicos às pessoas a sua volta.
8 – Comprei uma bateria para meu veículo e outra de reserva para deixá-la guardada. Posso deixá-la por qualquer tempo guardada e depois utilizá-la? 
Falso. É recomendável que a bateria sofra uma recarga em intervalos de no máximo 120 dias. Caso contrário a bateria pode ter sua vida útil reduzida.
9 – Sobrecarga é um problema da bateria? 
Falso. Sobrecarga é um efeito causado por uma situação que mantém uma alta corrente passando por um longo período de tempo pela bateria. Este longo período pode ser contínuo ou com interrupções. As reações químicas assim como todos os fenômenos físicos tem uma velocidade máxima para ocorrer. Ao aumentarmos a corrente de carga de uma bateria, estamos aumentando a velocidade da reação de carga. Existe um ponto em que a quantidade de energia fornecida à bateria supera a capacidade de ser absorvida pelos materiais que a compõe. A energia excedente então é transformada em calor. As baterias automotivas apresentam uma alta resistência térmica, ou seja, o calor gerado em seu interior, tem dificuldade em se dissipar, provocando aumento da temperatura. A temperatura elevada, leva à queima dos elementos químicos ativos da bateria (elementos que fazem parte da reação de carga e descarga) solicitando mecanicamente seus componentes, ou seja entortando as placas levando a bateria a uma morte prematura. Esse problema normalmente é gerado pelo mau funcionamento do Regulador de Voltagem do veículo.
10 – Qualquer bateria é indicada para qualquer veículo? 
Falso. As informações contidas nos rótulos das baterias são muito importantes. Para que você possa escolher a bateria mais adequada para seu veículo, as informações mais importantes são: A capacidade em 20 horas (C20), A corrente de partida e as dimensões. Deve-se ter especial atenção em analisar a corrente de partida. O manual do veículo pode ajudá-lo na escolha correta da bateria.

CURIOSIDADES

• Caso você não funcione seu veículo durante o período de 30 dias, os consumidores permanentes do seu veículo (alarmes, memórias do sistema de injeção eletrônica, computador de bordo e solenóides de travas elétricas) fazem com que a carga da bateria esteja em até 40% de sua capacidade. Inspecionar periodicamente o estado de carga e recarregar a bateria se necessário;
• Que a capacidade de uma bateria não depende do seu peso;
• Que a potência de uma bateria não está ligada a quantidade de elementos, mas sim a qualidade desses elementos;
• Que para remover o material isolante que se forma nos terminais de contato, você pode utilizar água fervente, de preferência uma mistura de Bicarbonato de Sódio (10:1);
• Que para proteger os terminais de contato de uma possível formação de material isolante nos terminais, pode-se utilizar uma leve camada de Vaselina (em pasta) após efetuado a conexão entre pólo e conector;
• Que ao adicionar algum tipo de solução para nivelar o eletrólito de uma bateria, essa solução deve ser única e exclusivamente água destilada ou desmineralizada e nunca água da torneira ou água mineral;
• Que nos veículos a gás o nível do eletrólito deve ser verificado a cada 60 dias no mínimo e completar quando necessário;
• Que baterias chumbo-ácido livres de manutenção (free) não necessitam ser seladas;
• As baterias indicadas para Sistemas No-break não são as baterias automotivas e sim as baterias fabricadas com tecnologia para Sistemas Estacionários;
Open chat
Precisa de Ajuda ?